Dia do Motociclista: a história de dois apaixonados pela Suzuki Hayabusa

A esquerda Cleydson Villar e sua Hayabusa vermelha e prata e a direita Sergio Toso e sua Hayabusa laranja

Dia 27 de julho, dia do motociclista, dia de celebrar a liberdade, a mobilidade e as amizades que somente o mundo das duas rodas pode proporcionar. É um dia também para relembrarmos a importância dos trabalhadores, que sob duas rodas não pararam durante a pandemia e conscientizar sobre um trânsito mais consciente e seguro. 

E para comemorar este dia tão especial, hoje vamos conhecer a história de dois apaixonados pela motocicleta que parou o mundo em 1998, a Hayabusa, que chega a sua terceira geração e ainda coleciona milhares de aficcionados mundo afora.

Sergio Toso, 65, iniciou sua paixão por motocicletas ainda garoto e sempre sonhou em ter sua própria motocicleta, até que conseguiu, e foi ali que a sua paixão não parou mais, foram diversas marcas, modelos e categorias. 

Mas foi no ano de 2000 que Sergio conheceu a Suzuki Hayabusa e de lá para cá, nesses 22 anos, nunca mais largou. Ele conta que foram mais de cem Hayabusas, e que não pretende parar por aqui, e vai realizar o sonho de possuir a terceira geração da sua verdadeira paixão porque o Falcão Peregrino “é um mito, é boa de andar, nunca te deixa na mão, é indestrutível” e ao longo desses anos foi “só troca de pneu, relação e óleo, e alegria e prazer”.

Outro apaixonado pela lendária ultimate sport da Suzuki, é Cleydson Villar, 54, que também iniciou sua paixão ainda menino, ele conta que seus vizinhos eram donos de uma concessionária de ciclomotores e motocicletas, e ele foi cultivando esse amor ao longo dos anos. 

Villar relembra que quando ingressou na polícia vendeu a sua motocicleta e ficou por 14 anos sem ter uma motocicleta, mas que a paixão e o gosto pelas duas rodas continuava, e em seguida ele conheceu a Hayabusa que para ele hoje “motocicleta se chama Hayabusa, se chama Suzuki”. 

Além do amor pela Hayabusa, os dois compartilham de outras semelhanças, Sergio Toso e Cleydson Villar, são presidentes e fundadores de dois dos maiores motoclubes que reúnem os apaixonados pelo Falcão Peregrino, a Confraria Hayabusa e a Escuderia Hayabusa, e aguardam ansiosamente pela chegada da terceira geração da motocicleta em agosto.